A importância dos ômegas 3, 6 e 9

Ao contrário do que já foi pregado, as gorduras têm um papel importante no organismo. Chamadas de ácidos graxos, as gorduras se dividem em monoinsaturadas, que tem como uma das fontes o azeite de oliva; poli-insaturadas (ômega-3 e 6); e saturadas, presentes em alimentos de origem animal — em excesso, podem aumentar as chances de desenvolver doenças cardiovasculares e outros problemas inflamatórios. As gorduras do tipo ômega, entretanto, merecem destaque por seus benefícios.

Os três tipos de ômegas são gorduras que devem estar presentes e equilibradas na dieta. Em comum, todas colaboram para o aumento do colesterol bom, conhecido como HDL, e na diminuição de triglicérides e do colesterol ruim, chamado de LDL, prevenindo doenças cardiovasculares. Peixes como o atum, a truta, o salmão e a sardinha, assim como as nozes e linhaça são ricos nesses elementos.

Ômega-3

É um ácido graxo essencial, ou seja, não é produzido pelo organismo. Entre os ômegas, é considerado o mais importante.

Encontrado em grande quantidade em peixes, além das oleaginosas e sementes de chia e linhaça, esse elemento é o mais importante dos três. Isso por que sua atuação no cérebro contribui para a manutenção das funções cognitivas e da transmissão de impulsos nervosos. Ele ainda tem ação anti-inflamatória e ajuda a prevenir a depressão, a ansiedade e o mal de Alzheimer.

Alimentos ricos em ômega-3

Óleos de peixes marinhos, sardinha, salmão, atum, arenque, anchova, e outros peixes que vivem em águas profundas e frias; algas marinhas, óleos e sementes de alguns vegetais, como a linhaça, nozes, semente de chia e folhas verde-escuras verdes são fontes de ômega-3.

Ômega-6

Rico em ácido linoleico (AL) relacionado à redução do colesterol total e do colesterol ruim (LDL) e ao aumento do colesterol bom.

Presente em todas as nossas células corporais – mas não produzida pelo corpo humano -, essa substância deve ser ingerida frequentemente. Esse nutriente interfere na formação das membranas celulares e da retina, atua na síntese hormonal e colabora para o funcionamento adequado do sistema imunológico.

Alimentos ricos em ômega-6

Nozes, óleo de soja ou óleo de canola

Ômega-9

É o abundante de todos e não se encontra em falta nas dietas ocidentais. Se você consegue suprir a quantidade adequada de ômegas-3 e 6, o ômega-9 é produzido pelo organismo. Ou seja, eles se equilibram entre si.

Esse elemento é um anti-inflamatório que ajuda a prevenir o câncer e atua contra doenças do coração e contra o envelhecimento precoce das células. O ômega 9 é uma gordura monoinsaturada e recebe essa classificação porque possui uma única dupla ligação de carbono em sua molécula. Isso a torna muito mais flexível e fácil de ser metabolizada, diferente das gorduras saturadas.

Alimentos ricos em ômega-9

Suas principais fontes são: óleo de oliva, azeitona, óleo de canola, abacate e oleaginosas (amêndoas, amendoim, castanhas e nozes).

Deixe uma mensagem